AGETO 11/09/2019 - 11:18 - Erica Lima/Governo do Tocantins

Governo estudará soluções que visam garantir tráfego em estradas vicinais de terras indígenas

Reunião entre indígenas e representantes do Governo aconteceu na manhã desta quarta-feira Reunião entre indígenas e representantes do Governo aconteceu na manhã desta quarta-feira - Lincoln Filho/Governo do Tocantins

O Governo do Tocantins, por meio da Agência Tocantinense de Transportes e Obras (Ageto)  irá estudar soluções que visam garantir a tráfego dos integrantes da comunidade indígena da etnia Karajá-Xambioá. A decisão foi anunciada pelo vice-presidente do órgão, Ruberval França, durante encontro com representantes das aldeias.

De acordo com o cacique Tevaldo Moreira Karajá, a comunidade local necessita que seja feita manutenção em dois trechos de estradas vicinais  no entorno das terras indígenas. “São 52 quilômetros de estradas vicinais que  necessitam de intervenções para que nossa comunidade não fique isolada”, explicou.

A região, localizada no município de Santa Fé do Araguaia, já está recebendo intervenções em 32 quilômetros de estradas vicinais, o que inclui aumento de greide, construção de bueiros e uma ponte de 20 metros. As obras fazem parte do Projeto de Desenvolvimento Regional, Integrado e Sustentável (PDRIS), na modalidade vicinal, e é financiado pelo Banco Mundial. “O Governo está fazendo um investimento de R$ 664,8 mil na região, mas a comunidade tem essa nova demanda, que será  estudada pela  equipe técnica da Ageto”, explicou França.

O vice-presidente também destacou que a responsabilidade da manutenção das estradas vicinais é do município, mas o Governo está aberto a parcerias que culminem na realização das obras. “Nossa preocupação é garantir a trafegabilidade e o conforto das famílias que dependem dessas estradas e vamos pensar em uma solução para o local”, destacou o  gestor.

Obras

As obras que estão sendo executadas pelo Governo do Estado nas terras indígenas vão beneficiar 128 famílias, divididas nas quatro aldeias da etnia. A reserva está sendo contemplada com a construção de seis bueiros tubulares, uma ponte de 20 metros e 10,76 km de nivelamento de pavimento e cascalhamento de estradas. O valor do investimento é de R$ 664,8 mil.

Os trechos contemplados foram apontados pelos indígenas em audiências públicas realizadas dentro da comunidade.